Pesquisa diz que micro e pequenos empresários irão contratar mais

 

 

Resultado de imagem para contratar

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae, revela que os micro e pequenos empresários estão com intenções de mais investimentos para os próximos meses, sendo que essa maior perspectiva de mais investimentos está ligada aos empresários do setor de construção civil.

Em média, 15% dos micro e pequenos empresários brasileiros que participaram da entrevista do Sebrae, disseram que irão ter que realizar demissões nos próximos meses para equilibrar a receita da empresa. No mês de junho, o Sebrae realizou essa pesquisa e constatou que em média, 82% dos micro e pequenos empresários brasileiros irão manter as contratações.

Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae, afirma que isso irá refletir diretamente na economia em 2018.

“Esse dado pode ser reflexo de uma expectativa de melhoria da economia para o próximo ano, já que a mesma Sondagem mostra que 66% dos empresários acreditam que a economia vai melhorar ou permanecer como está nos próximos 12 meses”, explica Domingos. Para ele, essa grande onda de expectativas é refletida em vários setores da economia, principalmente no setor de construção civil.

“Esse setor foi um dos que mais sofreram com a crise. Com a perspectiva de retomada do crescimento da economia, a construção civil tem fortes chances de se recuperar, o que irá exigir um maior número de empregados”, diz Domingos. A pesquisa revelou que um dos principais motivos que levam a perspectivas de mais contratações por parte dos empresários, é a confiança que o faturamento irá ter mais alta nos próximos meses.

A cada dez micro e pequenos empresários entrevistados pelo Sebrae, quatro deles estimam que sua empresa irá ter um crescimento expressivo. Esse aumento precisará de mais mão de obra para que aconteça de fato. São números que refletem em outros números, que tendem a impulsionar mais setores na retomada da economia, pois o sucesso desses micro e pequenos empresários permitirá mais geração de empregos e renda no Brasil.

30% dos entrevistados não esperam mudanças expressivas com recuo ou crescimento, 32,4% dizem que é possível a situação econômica piorar. O número dos entrevistados que acreditam nessa realidade de melhoras e crescimento corresponde a 46,4% dos entrevistados pelo Sebrae.

Serviços é um dos maiores responsáveis pelo crescimento econômico

A economia volta a dar sinais claros de recuperação, e graças ao setor de serviços essa pequena taxa de crescimento de 0,2% já é vista como fator de otimismo por especialistas.

O setor de serviços teve um aumento significativo de 0,6% medido no final do segundo trimestre de 2017. Esses são dados atualizados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. Para muitos especialistas em economia, isso ainda é considerado lento e dependerá de uma recuperação do setor de emprego, e ainda não é o que o país almeja, mas já dá para acreditar em uma nova tendência positiva.

O setor de serviços representa diretamente 70% do Produto Interno Bruto – PIB – do país e esse crescimento vem para acabar com o jejum de 3 anos consecutivos de dados negativos em relação ao crescimento econômico do país.

“Com a redução do emprego e da atividade econômica, a demanda interna diminui. E infelizmente não temos muita exportação de serviços no Brasil”, diz Luigi Nese, presidente da CNS – Confederação Nacional dos Serviços.

Mas foi possível presenciar um crescimento no segundo trimestre de 2017, e alguns economistas apontam para a liberação das contas inativas do FGTS, como sendo um dos fatores que agregaram essa maior procura por bens e serviços aqui no Brasil.

“Quando tem uma melhoria na condição econômica, as pessoas começam a cortar o cabelo, fazer unha toda semana e resgatar seus planos de saúde e seguros. São os primeiros movimentos de que está havendo uma melhoria na renda”, diz o professor do Insper, Otto Nogami.

Segundo Nese, mais setores tendem a somar com o de serviços. “Há alguns grupos dentro da indústria que estão prejudicando uma retomada mais rápida desse setor, principalmente a construção civil. Mas a indústria de transformação já vem apresentando sinais tímidos de recuperação, o que, por sua vez, também repercute favoravelmente nos serviços.”

“De dois meses para cá, deu uma ‘melhoradinha’, mas não estou muito entusiasmado porque o movimento está instável. Na semana passada, teve um dia em que abri o salão às 8h e o primeiro cliente só apareceu às 13h”, diz Iris Rocha, cabeleireiro e proprietário de um salão de beleza.

 

Serasa divulga a primeira queda no número de inadimplentes depois de sete meses

Related image

O Serasa Experian divulgou recentemente dados que revelaram uma queda no número de inadimplentes no país no mês de junho. O registro foi divulgado no final do mês de agosto através do programa de Indicador de Inadimplência do Consumidor.

O primeiro registro de queda ao longo de sete meses teve um número significativo de 0,7% em comparação com o mês de maio, quando o número de inadimplentes teve seu maior registro, cerca de 61 milhões de pessoas. O novo fechamento é de 60,6 milhões de inadimplentes até o mês de junho deste ano.

No entanto, os números não são nada positivos se analisarmos a comparação com todos os outros meses do ano, exceto por maio. A quantidade de pessoas inadimplentes registradas em junho ainda é maior do que as que foram registradas nos outros meses de 2017.

Os economistas da Serasa asseguraram que uma série de fatores podem ter contribuído para que o mês de junho registrasse uma queda diante de um número que não parava de crescer, dentre eles estão: o saque das contas inativas do FGTS, a redução das taxas de juros, a queda da inflação e até mesmo o aumento do mercado formal de trabalho.

Atualmente, a região que mais se concentra pessoas com dívidas é a Sudeste sendo um total de 45,2% dos inadimplentes. A segunda região a aparecer nessa estatística é a Nordeste, com um total de 25,1%. Em seguida vem a região Sul do país, com 12,8%, a região Norte e o Centro-Oeste como os últimos colocados nessa comparação.

O estado com maior índice de inadimplência no país é o Amapá, sendo um total de 59,6% da população. O segundo maior é o estado de Roraima, com 58,2%, seguido do Amazonas, com 53,8%.

Os especialistas do Serasa aconselham que os endividados renegociem as dívidas a um valor que realmente possam pagar mensalmente, ou ainda que as dívidas sejam quitadas de uma só vez para reduzir os valores dos juros. Além disso, eles aconselham que caso a dívida não possa ser paga de uma só vez, que seja parcelada em no máximo 20% da renda mensal. Essa é uma garantia mínima de que o inadimplente não se endividará novamente com a mesma dívida.

 

Especialistas avaliam o crescimento do PIB como retomada da economia

Image result for crescimento do pib

Economistas brasileiros asseguram que a alta do PIB – Produto Interno Bruto, é a prova mais consistente de que a economia brasileira voltou a crescer. A alta a qual os economistas se referem é a de 0,2% referente ao segundo trimestre desse ano, que segundo os economistas, teve uma forte alavancagem pelo setor de serviços e de consumo familiar.

O economista Jason Vieira da gestora Infinity, destacou que é preciso mais um trimestre com resultados satisfatórios para de fato afirmar que a economia voltou a crescer. “São os primeiros sinais de uma reação mais consistente da economia”.

A economista da Tendências, Alessandra Ribeiro, ressalta sobre o crescimento acentuado dos dois setores no PIB, o de serviços e o de consumo das famílias. “Mós percebemos que esse maior dinamismo do consumo está batendo nos serviços, e temos mais fundamentos daqui pra frente para o crescimento consistente da economia”.

Já o diretor da sessão de Estudos e Políticas Macroeconômicas do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, José Ronaldo Souza Jr, revelou que os dados sobre o consumo das famílias foram os mais surpreendentes para esse segundo trimestre do ano, sendo um fator muito positivo. “O dado trimestral é volátil. É sempre possível ter dados negativos em algum trimestre deste ano, mas o importante é a tendência de recuperação”.

A avaliação da professora Margarida Gutierrez, do Coppead/UFRJ, é de que o crescimento do PIB no segundo trimestre indica uma retomada declarada da economia. “Se nós mantivermos esse ritmo ao longo do ano, vamos ter um PIB de 1% neste ano e de 2,4% a 2,5% no ano que vem. Parece uma recuperação mais intensa do que aquela que nós tínhamos inicialmente previsto”.

Embora o crescimento ainda seja considerado pequeno pelos especialistas, os novos índices demonstram um crescimento mais sustentável. Na ótica da economista Alessandra, o crescimento do PIB já influenciou uma série de bons eventos, dentre eles o aumento de empregos e da renda dos trabalhadores, melhora nas linhas de crédito para pessoa física e uma queda acentuada na taxa Selic, a taxa básica de juros. “Esses fundamentos devem dar suporte para a sustentação dos bons números que virão ao longo do segundo semestre”, revelou Alessandra.

 

O PayPal apresenta um novo cartão de crédito reembolsável para os usuários

O PayPal espera expandir a sua adesão através do lançamento de um novo cartão de crédito reembolsável. O PayPal Cashback Mastercard, que está disponível apenas para membros do PayPal, oferecendo aos titulares do cartão 2% de devolução de dinheiro em cada compra.

O cartão do PayPal é notável pela grande quantidade de dinheiro que ele oferece nas compras em geral. O novo cartão também não tem limite de reembolso anual, nenhum valor mínimo de resgate, nenhuma restrição sobre como gastar recompensas em dinheiro e sem vencimento em recompensas.

Enquanto outros cartões oferecem uma maior porcentagem de devolução de dinheiro, geralmente é oferecido apenas em certas categorias de compras como mantimentos ou passagens aéreas e muitas vezes vem com um limite para gastos.

“Não parece que 2% é muito, mas se você usa isso de forma regular pode realmente ser considerável”, diz Matt Schulz, analista sênior da indústria da CreditCards.com.

Mesmo que os cartões de recompensas sofisticados tenham a maior parte do mercado, a maioria das pessoas só querem dinheiro de volta, diz Schulz.

“As pessoas querem usar um cartão que ofereça recompensas concretas “, diz Schulz. “Este cartão mostra que o PayPal entende disso”.

O outro cartão de crédito do PayPal é o PayPal Extras Mastercard. Esse cartão segue um sistema típico de 3-2-1 pontos, no qual os clientes obtêm mais pontos para coisas como mantimentos e combustível. Também inclui mais pontos para compras PayPal e eBay.

O Extras Mastercard é semelhante aos cartões de crédito oferecidos pela Amazon, que oferecem mais pontos (até 5% de volta) nas compras da Amazon por membros prime.

O cartão PayPal Cashback é parte de uma oferta do PayPal para incentivar os membros a se moverem de forma transparente. O novo cartão, que está disponível através do Synchrony Bank, ignora as recompensas em categorias específicas e dá às pessoas um retorno em dinheiro.

“Ao fornecer uma maneira simples para que as pessoas ganhem recompensas em dinheiro pelas compras que eles já estão fazendo, o PayPal Cashback Mastercard dará aos consumidores mais uma razão para comprar com o PayPal”, diz Mark Britto, vice-presidente sênior de crédito global para PayPal.

Ao colocar as recompensas em dinheiro em um saldo da conta do PayPal, a empresa está buscando obter mais pessoas usando suas contas do PayPal com mais frequência. Você deve ter uma conta do PayPal em boa posição que esteja vinculada ao cartão ou as recompensas em dinheiro que você ganha podem ser perdidas.

Os titulares de cartões são capazes de gerenciar suas contas, resgatar suas recompensas em dinheiro e até mesmo fazer pagamentos através de sua conta PayPal. Os membros do cartão aprovado podem acessar seu cartão antes que ele chegue no correio.

 

Aprenda algumas maneiras de ganhar dinheiro extra para aumentar a sua renda

Todos nós podemos um dia precisar de um dinheiro extra, seja para cuidar das necessidades, pagar dívidas ou economizar por algo especial. Veja a seguir algumas maneiras de ganhar dinheiro extra com ideias simples.

Faça uma venda de quintal

As vendas de quintal são mais famosas nos Estados Unidos, mas isso não quer dizer que nós brasileiros não podemos copiar essa ótima ideia e lucrar com coisas que não usamos mais. Essas vendas são uma maneira testada e verdadeira de aumentar o dinheiro extra, e elas vêm com o benefício de limpar sua casa. Você pode vender itens pela metade do preço original.

Venda suas coisas online

A internet oferece mais tráfego do que uma venda de quintal. Existem vários sites fáceis de usar para postar roupas usadas e eletrodomésticos. Basta lembrar de ter em conta o custo do envio.

Faça coisas para vender

Você gosta de construir móveis ou de fazer artesanato? A Internet tornou mais fácil do que nunca encontrar um mercado para seus produtos artesanais. Basta ter em mente que a concorrência pode ser feroz, e você provavelmente terá que transmitir seu marketing aos amigos e familiares através das mídias sociais.

Babá de crianças ou de pets

Com horários tão agitados e uma rotina cada vez mais apertada, babás de crianças e de animais de estimação estão em alta. Embora possa ser estranho se oferecer para cuidar dos filhos de seus amigos por dinheiro, você pode procurar trabalhar com amigos de amigos ou listar seus serviços em um site de cuidadores.

Alugar um quarto

Se você tem um quarto livre em sua casa ou apartamento, considere alugá-lo. Você pode querer elaborar um contrato de locação oficial e encontrar um locatário por vários meses, ou você pode usar um site de aluguel para encontrar inquilinos de curto prazo por semanas ou mesmo dias. Dependendo da demanda local, você pode até mesmo alugar sua garagem ou espaço de estacionamento.

Ensine, seja tutor ou treinador

Use seus talentos e os transforme em uma habilidade que você possa ensinar. Se você é um pianista bem-sucedido, considere dar aulas. Se você é ótimo em um esporte, procure treinar ou arbitrar um tipo esportivo.

 

Serasa Score e outros serviços poderão ser consultados por consumidores no Correio

Image result for correios

De acordo com a TIC Domicílios, apenas 58% da população tem acesso diário a internet e a Serasa Experian em parceria com os correios, começaram a disponibilizar os consumidores que não possuem acesso a web com a finalidade de ofertar segurança nas relações dos consumidores através do Serasa. Com o “Você Consulta Pessoas”, do Serasa, “Você Consulta Empresas” e do “Meu Serasa”, você realiza as consultas em qualquer agência em todo país.

As regiões que mais tem acesso a esses serviços são Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, e o diretor do Serasa Consumidor, Pedro Lopes disse que: “Estamos sempre avaliando formas de levar serviços que garantam maior conforto e segurança ao consumidor. Mesmo com o avanço da internet, ainda há uma parcela de aproximadamente 50% da população brasileira sem acesso ou com acesso restrito. Desta forma, um parceiro como os Correios, com grande capilaridade no Brasil, nos ajuda a levar os serviços da Serasa aos moradores de locais com restrição de acessos. Nosso objetivo é munir o consumidor com informações para que ele tome decisões cada vez mais conscientes e seguras, prevenindo golpes”.

O serviço também pode ser utilizado pelas pessoas que querem contratar um serviço de um comerciante informal, disponibilizando informações como as dívidas constantes no CPF, cheques sem fundo, protestos entre outro.

Por exemplo, as pessoas que desejam contratar um Buffet de festas também contarão com a consulta de dívidas vencidas e outros aspectos jurídicos em relação a este Buffet.

Antes de buscar o crédito o consumidor deve usar esse serviço para a verificação da necessidade de regularizar o seu CPF e a pontuação que a indica o perfil do consumidor no pagamento de suas contas ao Score. Os bancos e empresas utilizam essa pontuação para saber se o consumidor é ou não um bom pagador de suas dívidas.

Manter o seu score alto facilita nas compras e ajuda em financiamentos.

Como juntar uma boa quantia durante o ano?

Image result for como poupar dinheiro

Conseguir juntar dinheiro mensalmente pode ser um desafio para muitas pessoas, mesmo seguindo desafios mirabolantes da internet ou até mesmo de economistas.

Antes de tudo é necessário que você reflita sobre as razões que te impedem de guardar todo mês um determinado valor na poupança ou até mesmo juntar para aplicar. Dividas, consumismo ou imprevistos? Entendendo o que te impede de poupar, você poderá gerenciar seus gastos e economizar.

Uma maneira bem simples de economizar e que pode te render 6.890 reais por ano, é o Desafio das 52 semanas. Este desafio possui a duração de cinquenta e duas semanas, e é simples e eficaz para as pessoas que possuem dificuldade em economizar.

Para cumprir o desafio é necessário se comprometer a colocar determinada quantia de dinheiro toda semana. É possível começar com valores pequenos, como por exemplo 1 real e aumentar os valores aos poucos. É necessário salientar que não se deve contar com esta quantia até o fim do desafio.

O desafio pode ser iniciado a qualquer momento, mas é necessário cumprir as 52 semanas para que tudo dê certo. Nas 52 semanas, se você começar o desafio com 1 real e aumentar 1 real a cada semana. Se você colocar a cada semana 1 real a mais, terá no final das 52 semanas R$1.378,00. Ao iniciar o desafio com 2 reais, terá ao fim R$2.756 e iniciando o desafio com 5 reais, é possível obter até mesmo 6.890,00 reais, um belo valor para quem tenciona economizar.

Os valores são flexíveis e podem ser adequados a situação financeira de cada um, por isso, é uma excelente oportunidade para todos. O desafio não exige conhecimento técnico e como os valores são consideravelmente baixos, como os de 1 real, é possível economizar sem nem mesmo perceber.

Iniciando o desafio aos poucos, você perceberá que tomará um conhecimento melhor de seus gastos e começara a economizar de maneira automática, assim, poderá futuramente gerenciar melhor sua vida financeira e até mesmo começar a investir em títulos públicos, como o Tesouro Direto.