Considerado o empreendedor de 2017, Guilherme Paulus é o grande vencedor em serviços no Brasil

Se o assunto é competência e determinação, não há como não falar de uma das principais operadoras de turismo do Brasil, a CVC, cuja a responsabilidade de todo o sucesso é de Guilherme Paulus, que agora também está investindo pesado na área de hotelaria, com 20 unidades espalhadas pelo país. Atualmente, o empresário é responsável por 8% da operadora de turismo, tendo vendido parte dela por R$ 750 milhões reais, sendo seu valor de mercado de aproximadamente R$ 6,35 bilhões. Outro fato importante foi a transferência da companhia aérea Webjet para o Gol, por R$ 70 milhões de reais.

Com 68 anos de idade, Guilherme Paulus é presenteado com uma trajetória incrível no ramo em que atua. O seu principal foco nos últimos tempos foi o investimento em rede de hotéis, no valor de R$ 600 milhões de reais destinados ao grupo GJP, responsável por 20 hotéis que estão presentes por 11 estados do Brasil. Para o empresário, a hotelaria deve ser sinônimo de servir bem os clientes. O grupo conta com quatro tipos de bandeira, sendo elas: a Wish (5 estrelas), a Prodigy (4 estrelas), a Linx (3 estrelas) e a linha premium Saint Andrews, localizada na cidade de Gramado, no RS, considerada uma das linhas mais bem conceituadas do país, com o selo Relais & Châteaux.

A rede de hotelaria GJP, até o mês de outubro de 2017, já havia hospedado 92 mil clientes. A rede possui cerca de 1,9 mil empregados, que recebem treinamentos e todo incentivo necessário para oferecer um atendimento diferenciado no mercado. Com isso, Guilherme Paulus investiu um total de R$ 80 milhões de reais, além de ter assumido a administração do Marulhos Suítes Resort, na bela praia de Porto de Galinhas. Não é à toa que o empresário foi coroado com o prêmio de melhor hotel de golfe do Brasil pela World Golf Awards 2017, graças ao empenho e dedicação, representado pela Wish Foz do Iguaçu, no Estado do Paraná.

E é muita audácia de Guilherme Paulus investir no país em tempos de crise econômica, acreditam os especialistas. Isso porque há uma alta na carga tributária, bem como a redução do número de turistas, principalmente os estrangeiros. Dessa forma, o empresário tem um perfil arrojado, passando a ideia de que o Brasil é um país com grande potencial. Neste ano de 2018, a GJP vai inaugurar um hotel da bandeira Linx no município de Juiz de Fora, MG e, para o próximo ano, a previsão é um Linx para a cidade de Canoas, RS. Apesar de muitos questionarem a ascensão da Airbnb, empresa de hospedagem com preços mais baratos, o empresário não demonstra nenhum tipo de receio, pois não a considera como concorrente, tendo em vista que a proposta da hotelaria é oferecer comodidade ao cliente e atendimento 24h.

Vale ressaltar, ainda, que Paulus realizou a compra da B2W Viagens, relacionada à Submarino Viagens, passando assim a triplicar suas operações online, com o aumento da participação da CVC na área de turismo e negócio. Outras aquisições do empresário foram: a Rextur Advance, a Trend, o Experimento Intercâmbio Cultural e a Visual Turismo. Com efeito, foram investidos cerca de R$ 1 bilhão de reais, e todas juntas prometem movimentar R$ 10 bilhões de reais anuais, transportando mais de 9 milhões de pessoas. O empresário aponta o Brasil como o país de oportunidades e sempre está de olho em novos negócios.

Segundo projeções as vendas de caminhões devem crescer 30% este ano

Os representantes do setor de caminhões estão otimistas, após o desempenho positivo no final do ano passado no mercado brasileiro. As projeções de crescimento para este ano são de 9,5% a 30%.

A empresa Mercedes-Benz é a líder nas estimativas mais confiantes, enquanto a Fenabrave espera um avanço menor, porém em todos os casos as comparações são com números baixos.

A Anfavea prevê aumento de 24,7% de emplacamentos de veículos pesados, o que inclui os ônibus que devem retornar mais lentos em 2018.

O vice-presidente da Anfavea explica que essa é uma alta previsão em cima de uma base baixa.

Os executivos destacam a necessidade de renovar as frotas e melhorar a economia como um dos principais impulsionadores de vendas este ano.

As projeções do presidente da MSN/Volkswagen Caminhões e ônibus, Roberto Cortes, são de que os avanços no meio do caminho sejam de 10% a 20% segundo a Reuters. A expectativa subiu, pois em alguns meses atrás ela era de 8% a 10%.

A Ford também alterou sua programação na fábrica no ABC, devido aos indicadores positivos e espera um aumento de produtividade em 45% nos três primeiros meses, em cima dos últimos três meses de 2017.

As vendas de caminhões encerraram o ano de 2017 com alta de 3,5% em comparação a 2016, que foi o pior ano depois de 1996 para essa produção. Mesmo com crescimento da produção em 37%, as unidades instaladas no país ainda trabalhavam com apenas 25% de sua capacidade no fim do ano.

A espera é de que haja uma aceleração nas linhas de montagem, devido a Volkswagem cancelar as férias coletivas de final de ano na fábrica localizada no Rio de Janeiro e com a abertura de 300 vagas de emprego.

Em 2016 foram 1,4 mil funcionários demitidos pela Mercedes-Benz na unidade de São Bernardo do Campo, e em dezembro de 2017 anunciou a contratação de 266 funcionários com início de atividades em fevereiro e contrato temporário de 1 ano.

A Ford Caminhões utiliza um sistema flexível onde os mesmos funcionários da linha de produção de carros trabalham na linha de produção de caminhões, evitando assim horas extras, novos turnos ou trabalhos nos finais de semana.

A estimativa da Anfavea para este ano é que as exportações de veículos pesados aumentem 12,8%, com um total de 42,2 mil unidades.