O que é negócio social?

O negócio social é um negócio que visa abordar uma causa social. O investimento na economia feito pelos investidores é inteiramente com a visão de contribuir para o bem-estar social e não para o lucro total. O investidor pode, no entanto, recuperar seu dinheiro após um certo tempo e cobrir todos os custos operacionais da organização.

Embora os negócios sociais possam ser realizados em qualquer área, mas setores como serviços de saúde, habitação, nutrição, educação, serviços financeiros para os pobres e para os que estão em dificuldades continuam sendo a prioridade. Ao contrário das organizações com fins lucrativos, o sucesso no campo dos negócios sociais é governado pela quantidade de impacto que é capaz de criar ou pela mudança positiva que ele foi capaz de trazer ao esquema existente.

Como mencionado anteriormente, o lucro fica em segundo plano, mas as organizações em negócios sociais não são necessariamente proibidas de obter lucros . A sustentabilidade, afinal, tanto da organização quanto do investidor, é importante e o lucro torna isso possível. Há essencialmente, mas um limite na quantidade de lucros que a organização pode fazer e os lucros devem ser utilizados novamente nos negócios. Geralmente, as empresas sociais não podem obter lucros além do investimento real.

Na verdade, nos negócios sociais, a linha entre lucratividade e contribuição social é muito difícil de manter, e muitas vezes acontece que as empresas sociais se tornam organizações lucrativas depois de alguns anos de operação. Por isso, exige a renúncia dos modos de pensar corporativos, porque o que pode começar como uma toupeira pode acabar se tornando uma montanha, 5 – 6 anos depois.

O termo negócio social é freqüentemente confundido com empreendimento social. Ambos são semelhantes em muitos aspectos, mas distintos em outros . Na verdade, os negócios sociais podem ser chamados como um componente do empreendimento social ou uma das maneiras pelas quais uma empresa social se expressa. Além disso, uma empresa social pode receber fundos de pessoas, através de doações ou do governo, um negócio social não pode.

O conceito de negócios sociais foi dado por Muhammad Yunus, que apresentou essencialmente como um modelo alternativo ao capitalismo. O objetivo era superar as deficiências e fracassos do capitalismo, que se concentra apenas no lucro e ignora ou falha em abordar outros lados do negócio. Ele criou um novo sistema onde a lucratividade e os negócios sociais existem simultaneamente. Além disso, os negócios sociais não são impedidos de obter lucros. Eles, no entanto, não têm permissão para receber dividendos e reinvestir o dinheiro ganho como lucro no negócio para escalar as operações e dar o máximo benefício ao máximo de pessoas.

Conheça mais sobre a trajetória do executivo Carlos Alberto de Oliveira Andrade

Único acionista do grupo Grupo CAOA, Carlos Alberto de Oliveira Andrade não se cansa de conversar sobre o reconhecimento e os prêmios recebidos pela empresa de consultoria recentemente, incluindo a primeira colocação na pesquisa de satisfação que é realizada todos os anos pela JD Power.

Com sede nos Estados Unidos, a CAOA é uma das grandes referências mundiais na avaliação de serviços do segmento automotivo com o foco total na experiência dos consumidores. Apesar da sede no exterior, a empresa é 100% nacional, e opera a frente de diversas multinacionais, muitas delas com atuação no Brasil, inclusive.

Mesmo orgulhoso do sucesso alcançado pelo grupo, Carlos Alberto de Oliveira Andrade ainda não se sente satisfeito e continua em busca de novas conquistas. Uma das metas almejadas pela empresa é a primeira colocação na pesquisa de satisfação pelos serviços de pós-venda, a qual também é feita anualmente pela JD Power. Esse seria um triunfo muito celebrado, tendo em vista o alto investimento que o grupo tem dedicado aos seus serviços de pós-venda.

Desde o momento em que assumiu a liderança de sua primeira concessionária, ainda nos anos 70, o objetivo do empresário sempre foi deixar os clientes satisfeitos. A trajetória de Carlos Alberto de Oliveira Andrade no ramo da venda de veículos iniciou praticamente por acaso, enquanto ele ainda trabalhava como cirurgião na cidade de Campina Grande. Após adquirir um Ford Landau, o automóvel não foi entregue pois a concessionária faliu.

Ao analisar a situação, o empresário enxergou potencial nessa concessionária, pois a mesma tinha um bom nome no mercado e bons veículos, faltando somente uma boa administração. Em questão de meses, a concessionária, que vendia uma média de oito carros por mês, passou a vender trinta automóveis nesse mesmo período. Depois de mais algum tempo, o número de veículos vendidos mensalmente superou a marca de 100.

A história de sucesso do então médico no ramo da venda de automóveis se espalhou por todo o Nordeste, o que levou a Ford a procurar Carlos Alberto de Oliveira Andrade e lhe oferecer a administração da maior concessionária da marca em Recife, oferta que se expandiu para outros estados depois de alguns anos. Assim, a CAOA se estabeleceu como a principal revendedora da Ford no Brasil.

Nos dias de hoje, a CAOA ainda importa de forma exclusiva as marcas Hyundai e Subaru. Com um total de 12 lojas de veículos seminovos e a sua rede independente, já são mais de 150 concessionárias vendendo os automóveis que são produzidos pela CAOA Montadora na fábrica do grupo em Anápolis. Além disso, a empresa também tem outros negócios, como a sua rede de mais de 100 oficinas e a CAOA Consórcios e a CAOA Pós-Venda.

Em relação a fábrica, Carlos Alberto de Oliveira Andrade assegura que os modelos que saem de Anápolis possuem a mesma qualidade dos automóveis produzidos pela Hyundai na Coreia, algo que pode ser atestado pelo alto padrão de qualidade adotado pelos engenheiros da produção da CAOA.

Empresário referência no Turismo, Guilherme Paulus, é considerado empreendedor do ano

Completar quase sete décadas de vida e ainda ter bastante potencial para o empreendedorismo não é para qualquer um. Guilherme Paulus é o exemplo perfeito de uma das trajetórias mais brilhantes do país, no que diz respeito ao setor de serviços. Atualmente, seu principal foco é a hotelaria, com um investimento de R$ 600 milhões de reais voltados ao grupo GJP Hotels e Resorts, que possui 20 hotéis espalhados pelo Brasil. O início dessa brilhante carreira se deu quando Paulus transformou a CVC numa das maiores operadoras de turismo do Brasil, onde estima-se um valor de mercado na casa dos R$ 6,35 bilhões de reais.

Em carta aberta divulgada nos 35 anos da Fundação 25 de Janeiro, popularmente conhecida como VISITE SÃO PAULO, Guilherme Paulus destacou a importância dos ramos de turismo, eventos e viagens, bem como a relevante participação dos mais de 700 associados nesta conquista, capazes de movimentar múltiplos segmentos do setor turístico e favorecer cada vez mais o aumento do número de visitantes e a melhoria contínua da prestação de serviços. Dessa forma, o empresário observou a incrementação da economia e a geração de negócios, por meio de ações de marketing e conteúdo, além de feiras do trade realizadas tanto Brasil quanto no resto do mundo.

E graças a estes resultados positivos, o desejo de Guilherme Paulus em investir está bem longe de chegar ao fim. Presidente da empresa GJP Hotels e Resorts, detentora de grandes obras luxuosas, o empresário inaugurará mais um hotel na cidade de São Paulo, no local em que funcionava a agência de publicidade DPZ, Cidade Jardins. A previsão de entrega do hotel é entre 2020 e 2021, e disponibilizará 65 apartamentos, rooftop, área para eventos e restaurante. Para Paulus, trabalhar com hotelaria é sinônimo de servir bem os clientes, portanto, o grupo GJP possui quatro tipos de bandeira, sendo a menor a Linx (três estrelas) e a maior a Wish (cinco estrelas), sem contar a linha premium, situada na bela cidade de Gramado, RS, conhecida como Saint Andrew.

Diante disso, a rede de hotéis da GJP já hospedou mais de 92 mil clientes, destacando-se sempre pelo seu atendimento diferenciado quanto ao demais concorrentes. A empresa conta com aproximadamente 2 mil empregados, que recebem todo o treinamento adequado para melhor atender os hóspedes. Consequentemente, Guilherme Paulus conquistou diversos prêmios, como o de melhor hotel de golfe do Brasil, o Wish Foz do Iguaçu, pela World Golf Awards 2017. Ao todo foram investidos mais de R$ 80 milhões de reais em hotéis. Isso é motivo de orgulho para o empresário, que prevê a inauguração de mais dois hotéis Linx, um em Juiz de Fora, MG, e o outro na cidade de Canoas, RS, para os próximos anos.

Vale ressaltar que, para alavancar ainda mais a CVC no turismo e negócio, Guilherme Paulus adquiriu a B2W Viagens, da Submarino Viagens, passando assim a triplicar suas operações online. Outras grandes transações feitas pelo empresário foram a transferência da companhia aérea Webjet para a Gol, por R$ 70 milhões de reais, e a compra da Rextur Advance, da Trend, da Visual Turismo e do Experimento Intercâmbio Cultura, em um total de quase R$ 1 bilhão de reais. Todas juntas são capazes de movimentar cerca de R$ 10 bilhões de reais por ano e transportar mais de 9 milhões de pessoas.

Guilherme Paulus: conheça os planos para 2020 e 2021 de um dos maiores nomes do turismo

O premiado empreendedor Guilherme Paulus é um homem cheio de ambição e zelo para ter sucesso em qualquer coisa que faça. Ele conseguiu estabelecer um império de negócios baseado na indústria hoteleira.

Guilherme Paulus tornou isso possível através de sua empresa GJP Hotels & Resorts. Esta é uma empresa de cadeia de hotéis com sede em São Paulo.

A empresa começou pequena e conseguiu crescer imensamente ao longo dos anos para se tornar a maior rede hoteleira do Brasil. Além disso, Paulus ainda dirige a CVC, considerada no mercado do turismo como a maior agência de viagens de toda a América Latina.

E Guilherme Paulus segue investindo na hotelaria. Entre 2020 e 2021, o empresário tem a intenção de lançar no Brasil mais um hotel de luxo, que deve ficar localizado na capital paulista, onde ficava a antiga agência de publicidade DPZ, na avenida Cidade Jardim.

De acordo com o projeto de construção, o hotel deve ser equipado com restaurante, espaço para eventos, rooftop e 65 apartamentos. Guilherme Paulus ainda não informou qual será a bandeira da propriedade, mas a ideia é que seja criada uma marca nova na GJP Hotels & Resorts, que pode também contemplar o Rio de Janeiro, além de São Paulo.

Histórico do executivo

Guilherme Paulus nasceu em 1949. Depois de completar os estudos secundários, ingressou na faculdade e estudou Administração de Empresas. Foi depois disso que ele decidiu se aventurar no turismo.

Depois de anos na indústria, Paulus tornou-se membro do Conselho Nacional de Turismo. Em 2005, ele fundiu suas habilidades de negócios à experiência adquirida enquanto trabalhava na indústria do turismo ao fundar a GJP Hotels & Resorts, uma potência na indústria hoteleira do Brasil.

Devido às suas impecáveis habilidades empreendedoras, Guilherme foi reconhecido como “Revolucionário das Relações de Consumo” pela revista Consumidor Moderno; como “Executivo de Valor” pelo jornal Valor Econômico; e como “Personalidade do Ano” pela revista especializada Viagem e Turismo.

Responsabilidade Social

Um aspecto muito forte no empreendedorismo de Paulus é a responsabilidade social. Para ilustrar o tema, usaremos como assunto o engajamento da CVC.

Para início de conversa, a empresa apoia o projeto PIET, que ocorre em Foz do Iguaçu, cidade do estado do Paraná. Esse projeto objetiva dar formação a adolescentes pobres para que possam atuar no turismo.

Mais um exemplo de responsabilidade social da CVC é que a empresa também patrocina o “Alfasol – Alfabetização Solidária”, um projeto de iniciação profissional de âmbito nacional que proporciona a adolescentes participar de programas educacionais na área do turismo.

A agência de viagens ainda adere a outras práticas de responsabilidade social em todas as comunidades em que se faz presente. Um exemplo é a Instituição Dr. Klaide, que há mais de 10 anos é apoiada pela CVC.

A instituição Dr. Klaide fica localizada na cidade paulista de Santo André (mesmo município onde está sediada a matriz da CVC), e há anos é responsável por beneficiar a população de baixa renda com cursos profissionalizantes para os jovens, atendimento psicológico e médico, reforço escolar e atividades de lazer.

Guilherme Paulus: conheça os planos para 2020 e 2021 de um dos maiores nomes do turismo

O premiado empreendedor Guilherme Paulus é um homem cheio de ambição e zelo para ter sucesso em qualquer coisa que faça. Ele conseguiu estabelecer um império de negócios baseado na indústria hoteleira.

Guilherme Paulus tornou isso possível através de sua empresa GJP Hotels & Resorts. Esta é uma empresa de cadeia de hotéis com sede em São Paulo.

A empresa começou pequena e conseguiu crescer imensamente ao longo dos anos para se tornar a maior rede hoteleira do Brasil. Além disso, Paulus ainda dirige a CVC, considerada no mercado do turismo como a maior agência de viagens de toda a América Latina.

E Guilherme Paulus segue investindo na hotelaria. Entre 2020 e 2021, o empresário tem a intenção de lançar no Brasil mais um hotel de luxo, que deve ficar localizado na capital paulista, onde ficava a antiga agência de publicidade DPZ, na avenida Cidade Jardim.

De acordo com o projeto de construção, o hotel deve ser equipado com restaurante, espaço para eventos, rooftop e 65 apartamentos. Guilherme Paulus ainda não informou qual será a bandeira da propriedade, mas a ideia é que seja criada uma marca nova na GJP Hotels & Resorts, que pode também contemplar o Rio de Janeiro, além de São Paulo.

Histórico do executivo

Guilherme Paulus nasceu em 1949. Depois de completar os estudos secundários, ingressou na faculdade e estudou Administração de Empresas. Foi depois disso que ele decidiu se aventurar no turismo.

Depois de anos na indústria, Paulus tornou-se membro do Conselho Nacional de Turismo. Em 2005, ele fundiu suas habilidades de negócios à experiência adquirida enquanto trabalhava na indústria do turismo ao fundar a GJP Hotels & Resorts, uma potência na indústria hoteleira do Brasil

Devido às suas impecáveis habilidades empreendedoras, Guilherme foi reconhecido como “Revolucionário das Relações de Consumo” pela revista Consumidor Moderno; como “Executivo de Valor” pelo jornal Valor Econômico; e como “Personalidade do Ano” pela revista especializada Viagem e Turismo.

Responsabilidade Social

Um aspecto muito forte no empreendedorismo de Paulus é a responsabilidade social. Para ilustrar o tema, usaremos como assunto o engajamento da CVC.

Para início de conversa, a empresa apoia o projeto PIET, que ocorre em Foz do Iguaçu, cidade do estado do Paraná. Esse projeto objetiva dar formação a adolescentes pobres para que possam atuar no turismo.

Mais um exemplo de responsabilidade social da CVC é que a empresa também patrocina o “Alfasol – Alfabetização Solidária”, um projeto de iniciação profissional de âmbito nacional que proporciona a adolescentes participar de programas educacionais na área do turismo.

A agência de viagens ainda adere a outras práticas de responsabilidade social em todas as comunidades em que se faz presente. Um exemplo é a Instituição Dr. Klaide, que há mais de 10 anos é apoiada pela CVC.

A instituição Dr. Klaide fica localizada na cidade paulista de Santo André (mesmo município onde está sediada a matriz da CVC), e há anos é responsável por beneficiar a população de baixa renda com cursos profissionalizantes para os jovens, atendimento psicológico e médico, reforço escolar e atividades de lazer.

Considerado o empreendedor de 2017, Guilherme Paulus é o grande vencedor em serviços no Brasil

Se o assunto é competência e determinação, não há como não falar de uma das principais operadoras de turismo do Brasil, a CVC, cuja a responsabilidade de todo o sucesso é de Guilherme Paulus, que agora também está investindo pesado na área de hotelaria, com 20 unidades espalhadas pelo país. Atualmente, o empresário é responsável por 8% da operadora de turismo, tendo vendido parte dela por R$ 750 milhões reais, sendo seu valor de mercado de aproximadamente R$ 6,35 bilhões. Outro fato importante foi a transferência da companhia aérea Webjet para o Gol, por R$ 70 milhões de reais.

Com 68 anos de idade, Guilherme Paulus é presenteado com uma trajetória incrível no ramo em que atua. O seu principal foco nos últimos tempos foi o investimento em rede de hotéis, no valor de R$ 600 milhões de reais destinados ao grupo GJP, responsável por 20 hotéis que estão presentes por 11 estados do Brasil. Para o empresário, a hotelaria deve ser sinônimo de servir bem os clientes. O grupo conta com quatro tipos de bandeira, sendo elas: a Wish (5 estrelas), a Prodigy (4 estrelas), a Linx (3 estrelas) e a linha premium Saint Andrews, localizada na cidade de Gramado, no RS, considerada uma das linhas mais bem conceituadas do país, com o selo Relais & Châteaux.

A rede de hotelaria GJP, até o mês de outubro de 2017, já havia hospedado 92 mil clientes. A rede possui cerca de 1,9 mil empregados, que recebem treinamentos e todo incentivo necessário para oferecer um atendimento diferenciado no mercado. Com isso, Guilherme Paulus investiu um total de R$ 80 milhões de reais, além de ter assumido a administração do Marulhos Suítes Resort, na bela praia de Porto de Galinhas. Não é à toa que o empresário foi coroado com o prêmio de melhor hotel de golfe do Brasil pela World Golf Awards 2017, graças ao empenho e dedicação, representado pela Wish Foz do Iguaçu, no Estado do Paraná.

E é muita audácia de Guilherme Paulus investir no país em tempos de crise econômica, acreditam os especialistas. Isso porque há uma alta na carga tributária, bem como a redução do número de turistas, principalmente os estrangeiros. Dessa forma, o empresário tem um perfil arrojado, passando a ideia de que o Brasil é um país com grande potencial. Neste ano de 2018, a GJP vai inaugurar um hotel da bandeira Linx no município de Juiz de Fora, MG e, para o próximo ano, a previsão é um Linx para a cidade de Canoas, RS. Apesar de muitos questionarem a ascensão da Airbnb, empresa de hospedagem com preços mais baratos, o empresário não demonstra nenhum tipo de receio, pois não a considera como concorrente, tendo em vista que a proposta da hotelaria é oferecer comodidade ao cliente e atendimento 24h.

Vale ressaltar, ainda, que Paulus realizou a compra da B2W Viagens, relacionada à Submarino Viagens, passando assim a triplicar suas operações online, com o aumento da participação da CVC na área de turismo e negócio. Outras aquisições do empresário foram: a Rextur Advance, a Trend, o Experimento Intercâmbio Cultural e a Visual Turismo. Com efeito, foram investidos cerca de R$ 1 bilhão de reais, e todas juntas prometem movimentar R$ 10 bilhões de reais anuais, transportando mais de 9 milhões de pessoas. O empresário aponta o Brasil como o país de oportunidades e sempre está de olho em novos negócios.

Segundo projeções as vendas de caminhões devem crescer 30% este ano

Os representantes do setor de caminhões estão otimistas, após o desempenho positivo no final do ano passado no mercado brasileiro. As projeções de crescimento para este ano são de 9,5% a 30%.

A empresa Mercedes-Benz é a líder nas estimativas mais confiantes, enquanto a Fenabrave espera um avanço menor, porém em todos os casos as comparações são com números baixos.

A Anfavea prevê aumento de 24,7% de emplacamentos de veículos pesados, o que inclui os ônibus que devem retornar mais lentos em 2018.

O vice-presidente da Anfavea explica que essa é uma alta previsão em cima de uma base baixa.

Os executivos destacam a necessidade de renovar as frotas e melhorar a economia como um dos principais impulsionadores de vendas este ano.

As projeções do presidente da MSN/Volkswagen Caminhões e ônibus, Roberto Cortes, são de que os avanços no meio do caminho sejam de 10% a 20% segundo a Reuters. A expectativa subiu, pois em alguns meses atrás ela era de 8% a 10%.

A Ford também alterou sua programação na fábrica no ABC, devido aos indicadores positivos e espera um aumento de produtividade em 45% nos três primeiros meses, em cima dos últimos três meses de 2017.

As vendas de caminhões encerraram o ano de 2017 com alta de 3,5% em comparação a 2016, que foi o pior ano depois de 1996 para essa produção. Mesmo com crescimento da produção em 37%, as unidades instaladas no país ainda trabalhavam com apenas 25% de sua capacidade no fim do ano.

A espera é de que haja uma aceleração nas linhas de montagem, devido a Volkswagem cancelar as férias coletivas de final de ano na fábrica localizada no Rio de Janeiro e com a abertura de 300 vagas de emprego.

Em 2016 foram 1,4 mil funcionários demitidos pela Mercedes-Benz na unidade de São Bernardo do Campo, e em dezembro de 2017 anunciou a contratação de 266 funcionários com início de atividades em fevereiro e contrato temporário de 1 ano.

A Ford Caminhões utiliza um sistema flexível onde os mesmos funcionários da linha de produção de carros trabalham na linha de produção de caminhões, evitando assim horas extras, novos turnos ou trabalhos nos finais de semana.

A estimativa da Anfavea para este ano é que as exportações de veículos pesados aumentem 12,8%, com um total de 42,2 mil unidades.