EUA estuda estabelecer sanções ao petróleo da Venezuela

Resultado de imagem para EUA estuda estabelecer sanções ao petróleo da Venezuela

Segundo autoridades norte-americanas, o governo dos Estados Unidos está estudando a possibilidade de impor sanções econômicas ao petróleo da Venezuela, em decorrência da votação da Assembleia Constituinte que ocorreu no dia 30 de julho no país, a qual foi definida como uma “fraude” pelos políticos de Washington.

Essas sanções, que podem ser anunciadas a qualquer momento, não deverão proibir a exportação do petróleo da Venezuela aos Estados Unidos, mas provavelmente irão proibir a venda do petróleo americano ao país, o qual por ser mais leve, é utilizado pelos venezuelanos para misturar com o seu petróleo, que é mais pesado e precisa dessa mistura.

Até o momento, o nível de extensão dessas possíveis sanções ainda está sendo analisado pelo governo dos Estados Unidos, o qual além de proibir a venda do seu petróleo, também pode restringir o acesso do governo venezuelano e da empresa estatal de petróleo do país, a PDVSA, aos bancos norte-americanos.

Porém, também existe a possibilidade dos Estados Unidos não aplicarem essas sanções nesse momento, e aguardarem quais serão os próximos passos da política venezuelana nas semanas seguintes. Caso a situação do país se agrave em direção a medidas ditatoriais e não-democráticas, as sanções econômicas podem ser aplicadas como forma de enfraquecer o governo de Nicolás Maduro.

Segundo fontes do governo norte-americano, o presidente Donald Trump já havia ameaçado adotar ações econômicas rápidas se o governo da Venezuela insistisse na tentativa da Assembleia Constituinte, o que confirma que a intenção dos Estados Unidos nesse momento é analisar a situação antes de definir qual atitude tomar.

Com base no atual cenário venezuelano, o governo dos Estados Unidos está agindo com cautela para evitar que a população do país sofra mais do que o necessário com os efeitos dessas sanções econômicas. Por outro lado, os norte-americanos também estão ponderando os seus próprios interesses econômicos e se estes seriam prejudicados com a adoção dos embargos.

Atualmente, os Estados Unidos são os principais consumidores do petróleo da Venezuela, portanto, qualquer embargo econômico adotado nesse setor poderia causar efeitos imediatos e trágicos para a economia venezuelana, que já se encontra bastante debilitada no momento.